4 de jun de 2013

Eu, meu pai e meus outros amores - Lilian Reis

Editora: Novo Século
Páginas: 320

Há coisas na vida que acontecem e a pessoa se revolta, fica com raiva de tudo e de todos, contudo, Jade teve que aprender da maneira mais dura, que o mundinho no qual ela vivia era fútil, uma imensa bola cheia de nada. Para Jade, tudo que importava era sua mãe, padrasto e amiga. O pai era um sonho inalcançável, uma figura por quem Jade nutria “sentimentos incompreensíveis”. Ela acreditava que aquela vida de badalações, academia de dança, luais, e festas eram tudo de bom, e para o qual valia a pena viver. O resto era descartável. Entretanto, Jade fora inserida “contra sua vontade”, em outro mundo. Um lugar completamente sem valor para ela. As pessoas pouco lhe interessavam e tampouco ela acreditava que eles se interessassem por ela. Para ela, uma garota da cidade grande, o que importava eram as coisas que ela podia fazer e a maneira como se divertia, e amava apenas essas pessoas que eram seu ”tudo”... 


Jade não tinha tudo, mas tinha o que lhe era essencial para viver: mãe, comida, roupas, beleza e até um padrasto bacana. Mas ela sabia que faltava algo há muito tempo e que, somente "aquilo" a completaria novamente... Faltava a presença de seu pai.

O pai não havia falecido, mas após ter se divorciado de sua mãe era como se isso tivesse acontecido. Eles mal conversavam, se viam muito pouco (ou quase nunca) e não havia mais um grande afeto entre eles, apenas restou o vazio e a culpa que a distância causou. Jade era muito apegada ao pai e vê-lo deixando sua família para casar-se com outra mulher... Ah! Aquilo a machucou muito.

Sua vida cai sobre sua cabeça quando, em um acidente de carro, sua mãe e seu padrasto morrem. Eles eram a única família que Jade considerava, mas agora ela só tinha o pai que tanto detestava e que morava em uma fazenda no "fim do mundo". Sem alternativa, já que é menor de idade, Jade é obrigada a se mudar para o interior de Minas Gerais e conviver com um passado que ela queria ter enterrado, mas que sabe que nunca deixará de fazer parte de sua vida.

Morar na fazenda não parece ser tão ruim depois que ela conhece Fred e Duke, os filhos de sua madrasta. Eles certamente deixariam qualquer lugar sem graça mais interessante! Fred é um cara reservado, charmoso, irônico e irritantemente atraente para a moça. Duke, quando se trata de personalidade, é quase o oposto do irmão. Ele é carinhoso, atencioso... a doçura em pessoa.

Em boa parte do tempo Jade é uma chata com todos da família, como se os culpasse pela morte da mãe, Mas a convivência com Duke, Fred, Isolda e seu pai, faz as coisas inverterem e ela começa a entender o que não entendia antes...

Este é um daqueles livros que transborda emoções no decorrer das páginas. O que mais me encantou não foi o "amor romântico", aquele vivido pelo casal principal, mas sim o "amor fraterno". O amor de um pai ou de uma mãe é, sem dúvida, o amor mais puro do mundo e Lilian Reis soube expressar isso muito bem em seu trabalho.

Apenas duas coisas me incomodaram no livro... A revisão, pois notei alguns errinhos de digitação ou de gramática. São erros que muitas vezes passam despercebidos por nossos olhos, não prejudicam a leitura, mas a Novo Século anda pecando nesse quesito. O segundo fator que me incomodou foi uma tal "voz" na cabeça da Jade, que viva conversando com ela sem mais nem menos, como se fosse sua conciência... Isso não me agradou.

Entretanto, é um livro muito bonito, com uma mensagem linda e tocante. A narrativa da autora é deliciosa, li em poucos dias e me diverti e emocionei diversas vezes! Não sou Team Fred, achei que ele possui características de psicopata (hahaha), mas adorei o Duke! O Duke é o tipo de personagem que eu adoraria encontrar na realidade, ele é muito amor!

Lilian Reis tem uma carreira brilhante pela frente! Depois de ter lido seu livro percebi que havia algo semelhante na escrita de todos os autores nacionais que já li (não foram poucos), eles escrevem com o carisma do brasileiro e sabem expressar os sentimentos mais gostosos e verdadeiros nas páginas de um livro! E tenho certeza que é por este motivo que tenho lido tantas obras nacionais, pois se tem algo que me faz bem é sentir paixão e vivacidade durante a leitura!

"Queria ter um pai que me amasse e que estivesse presente em todas as ocasiões da minha vida. Ele nunca se esforçou de verdade para estar comigo." Pág. 58

8 comentários:

  1. Eu achei interessante o livro. Ele me pareceu com algo que já tinha visto em algum filme. Mas, realmente ele me pareceu bom, não sei se vou ler, pois tenho alguns livros na frente, talvez algum dia eu leia.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente amei sua resenha Andresa. Obrigada pelos elogios e pelo carinho. Beijos. Lilian.

    ResponderExcluir
  3. Estou morrendo de vontade de ler esse livro!

    Acho a história muito linda e pela sua resenha emocionante também!

    Beijos

    Livros... Quero ler sempre

    ResponderExcluir
  4. Achei a história linda e pela sua resenha emocionante tbm.

    ResponderExcluir
  5. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom,
    li algumas coisas folhe-ei algumas postagens,
    gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha.
    Deixo-lhe a minha bênção.
    E que haja muita felicidade e saúde em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  6. A premissa do livro me fez lembrar de um filme que eu assisti um tempo atrás. Quero ler o livro!!! Adorei a resenha!!!

    ResponderExcluir
  7. Fiquei curiosa para ler este livro!

    ResponderExcluir
  8. Oi Andresa! Fiquei mega curiosa para ler este livro, nunca tinha lido um livro que o tema é focado para esse lado, e espero que esse livro me surpreenda! Adorei a resenha!!

    Bjs *-*

    ResponderExcluir

• Escreva um comentário e deixe uma blogueira muito feliz!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul editado por Anderson Vidal