14 de ago de 2013

Entre o Amor e a Paixão - Lesley Pearse

Editora: Novo Conceito
Páginas: 512
Resenhado por: Ana Paula da Cruz

No início da Primeira Guerra, Jimmy, o marido de Belle Reilly, é levado para as trincheiras mortais do norte da França e Belle percebe que não pode ficar de braços cruzados quando tantos estão sacrificando suas vidas. Armada de coragem e boa vontade, ela se torna voluntária como motorista da Cruz Vermelha, também na França. Então, enquanto cumpre seu dever humanitário, um trágico acidente lhe coloca frente a frente com Etienne — o homem que fez parte de seu passado e a quem nunca esqueceu completamente. Dividida entre a paixão proibida por Etienne e a lealdade e o amor por Jimmy, Belle encontra-se em uma situação impossível. A confusão de seus sentimentos, misturada à escuridão da mais brutal das guerras, a levará a sucumbir para sempre, ou a força da vida será maior e a conduzirá, finalmente, à verdadeira felicidade?


Infelizmente acho que minha resenha não fará jus a esta leitura. Achei sensacional! Mais uma vez a autora conseguiu prender a minha atenção do início ao fim do livro! Mesclando acontecimentos da vida de Belle (que devo admitir, já é um prato cheio de novidades) com a primeira guerra mundial, o livro foi um misto de sensações inexplicável, da primeira à última página.

A história começa alguns anos depois que Belle voltou da França. Aos poucos Lesley Pearse vai nos inserindo na nova vida de Belle e seu querido marido Jimmy. Juntamente com Mog (praticamente a mãe de Belle) e Garth (tio de Jimmy e esposo de Mog), eles vivem juntos, os quatro na mesma casa, em um povoado de Londres e cada um deles conseguiu ser bem sucedido na vida. Belle tem sua chapelaria de sucesso enquanto a taberna de Garth e Jimmy vai a todo vapor. 

Porém, com o estourar da primeira guerra, mais uma vez a vida da protagonista vira de pernas para o ar. Vendo seu marido se alistar para ir à guerra e após um trágico acontecimento enquanto Jimmy estava na França lutando, Belle sente-se compelida a fazer algo para ajudar o seu país, mas percebe que não é apenas pelo país que ela quer ir, é pelo seu espírito que foi desde sempre livre e aventureiro. 

Belle, juntamente com Miranda, sua nova melhor amiga e personagem extremamente cativante, decidem então ir para perto da guerra ajudar. Mas a guerra, vista de perto, não é como estágio voluntário que ambas fizeram em Londres. O desgaste do dia-a-dia e as surpresas que podem vir são encantadoras, assim como Jimmy, e assustadoras e inebriantes, assim como é Etienne.

Não nos sentimos deslocados em nenhum momento em relação aos fatos antigos que aparecem ao longo da história e que consequentemente remetem ao primeiro livro e às explicações do rumo que a vida de Belle tomou, pois a autora consegue inserir o passado no presente de maneira sutil e adequada, para que assim consigamos nos situar, sempre tendo um motivo para que a explicação de como Belle chegou onde está  e o que ela passou se faça presente no contexto e no que está acontecendo naquele momento.

Como nada é tão perfeito assim, a autora não consegue deixar de ser má com a coitada da protagonista. Belle sofre na mão dela. Muitas vezes eu me indignei com o livro e pensei “mas porque? Ela fez isso com ela, SÉRIO?”, é de ficar com o coração na mão. De verdade! Diversas vezes eu tive que largar o livro e dar uma respirada, porque eram coisas fortes demais. Foi complicado não jogá-lo na parede... eu disse que foi um misto de sensações. 

Mesmo sendo um livro pesado, só o fato de tratar sobre a primeira guerra mundial já deixa o livro mais denso, a escrita de Lesley faz tudo transcorrer na maior naturalidade. Quase não se sente as páginas passando e a narrativa bem específica e maravilhosamente bem descritiva faz a gente se sentir ora na guerra, com os bombardeios por tudo que é canto e a lama até nossas canelas, ora na casa aconchegante de Belle em frente à lareira, tomando um chá com a Mog e ouvindo a risada de Garth.

Recomendo demais essa leitura, é linda além de culta. É emocionante e triste. É cativante e esperançosa... é quase perfeita, se a Belle não fosse tão judiada. HEHE.

" - Eu disse que atravessaria fogo e dilúvio e enfrentaria qualquer perigo por você – disse ele, olhando diretamente em seus olhos -  Se isso não era dizer que amava você, não sei o que era." Entre o Amor e a Paixão

2 comentários:

  1. Nossa Andresa Belle me marcou muito, acredita que até agora não comprei esse livro ? preciso logo !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Cíntia Abs da Cruz21 de agosto de 2013 15:41

    Entre o amor e a paixão... ótima resenha! Bjos para as meninas do blog!

    ResponderExcluir

• Escreva um comentário e deixe uma blogueira muito feliz!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul editado por Anderson Vidal