12 de mai de 2013

O Teorema Katherine - John Green


Editora: Intrínseca
Páginas: 304


Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.


Sempre leio diversas críticas positivas sobre o John Green e isso não começou no ano passado, quando foi lançado o livro "A Culpa é das Estrelas". Encontro esses elogios desde o lançamento de: "Quem é você, Alasca?". Eram tantos que resolvi me entregar à escrita do autor, portanto em 2011, se não me engano, li o segundo livro citado e adorei! A história de Alasca é surpreendente e muito bem construída. 

Quando fui à Bienal, no ano passado, ganhei de presente o segundo livro do autor publicado no Brasil, o famoso “A Culpa é das Estrelas”. Por ser um livro sobre personagens que têm câncer estou adiando a leitura até hoje... Sei que é o tipo de livro que me deixa mal.

Assim que recebi “O Teorema Katherine” pensei que seria uma ótima oportunidade de ler novamente algo do autor. Porém a decepção foi clara. Estou começando a pensar que as pessoas gostaram do livro simplesmente por se tratar de algo que o John Green escreveu. Eu, sinceramente, não achei que foi seu melhor trabalho.

O livro narra a história de Collin Singleton, um garoto super nerd que possui certa obsessão em namorar Katherine's. Ao todo ele namorou 19 meninas com este nome. O problema é que nenhum de seus romances deu certo ou durou muito tempo. 

Em um momento "eureca", Collin decide criar um teorema para prever quando uma pessoa terminará com a outra. O garoto está disposto a descobrir o motivo de nenhum relacionamento ter dado certo. Então ele batiza este seu louco projeto de: Teorema Katherine.

Com raiva por sua Katherine XIX ter despedaçado seu coração, Collin e seu melhor amigo Hassan vão para a estrada em busca de aventuras e na solução do teorema. Durante a viagem eles encontram uma cidade do interior e acabam fazendo amizade com pessoas que moram no local. A dona de uma loja e de uma grande indústria dessa cidade oferece um emprego para os dois amigos e eles acabam ficando fixamente no local.

Eles se envolvem tanto com a população da cidade que além do emprego repentino, fazem amigos, paqueras, encontram muita confusão e aprendem lições que levarão durante toda a vida.

E é nisso que o livro se resume. Narrar a história de dois amigos em busca de algo que nem eles mesmos sabem... Me decepcionei com o livro. Por mais que a narrativa do John Green seja cômica e divertida, a leitura não fluiu como eu imaginava. Peguei antipatia pelo personagem principal (que cara chato!), e os outros personagens também não me cativaram. Hassan, que é de longe o mais bobo de todos, foi o que mais despertou minha atenção por conta da sua personalidade diferente.

Percebi também a mania que o Green possui criar personagens nerd’s. Isso aconteceu em "Quem é você, Alasca?" e neste livro também, a diferença é que o personagem do primeiro livro era inteligente e era bem mais do que apenas um cara que sabia várias coisas. Collin, entretanto, é um nerd comum, com uma obsessão estranha em namorar Katherine's e que sente raiva por ser apenas um prodígio e não um gênio!

Além disso, a história não possui clímax! Isso mesmo! Eu não encontrei clímax nenhum neste livro e isso foi o que mais me irritou durante a leitura. Não há ação, o romance é raso e o enredo fraco. O que acabou salvando a história foi a narrativa divertida, que é característica do autor; as notas de rodapé, que trouxeram mais interação para o leitor, e a nota final do livro que explica de verdade o teorema do Collin. Fora isso nada mais me interessou... 

Claro que irei ler “A Culpa é das Estrelas”. Tenho certeza que será um livro melhor do que este. Já li diversas resenhas apontando isso e acredito que minha opinião poderá ser parecida.
"O Teorema Katherine" é um livro sem pretensões. Leia caso queira algo que, sinceramente, não acrescente nada em sua vida, apenas momentos descontraídos e uma leitura simples.

"Ele queria ter um melhor amigo, uma Katherine e um Teorema. E depois quase três semanas em Gutshot, tudo parecia estar pior que antes." Pág. 176

7 comentários:

  1. Eu cogitei comprar esse livro quando comprei a culpa é das estrelas, mas desisti porque tinha outro livros na frente desse que eu queria ler. Gostei da resenha que você fez mas fiquei um pouco desanimada de ler esse "O Teorema Katherine" agora por enquanto.

    ResponderExcluir
  2. Dizem que este autor escreve muito bem, quero conhecer ele lendo " A culpa é das estrelas" é um dos meus livros desejados para este mês.

    Ótima resenha, adorei!

    http://likelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, Andresa.

    Todos dizem MUITO BEM desse AUTOR! E até hoje estou adianto "A CULPA É DAS ESTRELAS" também, rs...também fico mal. Não sei porque, mas gosto dessa capa Hhahahaha....é meio sem graça, mas gosto.

    Que pena que não gostou!!! o autor é muito bem falado...mas as vezes acontece né.

    Um beijo,.

    Milena - Visite o blog, voltei com ele novamente, rs
    http://divertletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. "A Culpa é das Estrelas" e "Quem é Você, Alasca?" devem ser mesmo muito bons - só ouço elogios! - mas, quanto ao "Teorema Katherine", não lembro de ter visto muitas resenhas legais dele, e gostei do fato de você ter sido sincera na resenha. Bem, vez ou outra pode sair um livro que não seja de agrado total como os anteriores, acho que isso é normal para um escritor. Mas, de todo jeito, sua resenha ficou muito boa! - e ótima escolha de quote!
    Beijos...

    ♥ SammySacional ♥
    ♥ Dando Uma de Escritora ♥

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Amigaaa eu estava morrendo de vontade de ler. Mas depois que você me contou sobre o livro e li sua resenha, fiquei com o pé atrás!

    Mas ainda quero ler, ver qual publico eu vou ser ;P
    o que amou o livro ou o que se decepcionou.

    Parabénss pela resenha amigaa :DD

    Bjs
    http://publicidadeliteraria.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Eu confesso que também estou adiando a leitura de A Culpa é das Estrelas, mas minha 'primeira' vez com John Green foi com O Teorema Katherine. No começo do livro fiquei me questionando do porque as pessoas gostarem tanto desse autor, mas lá pela metade consegui encontrar certo charme no Colin e no jeitão nerd dele. Quem salvou o livro na minha opinião foi o Hassun com seu humor auto depreciativo e tudo mais. Achei um bom livro, mas não surpreendente como eu esperava.

    Gostei da sua resenha.
    Beijo!

    http://umagarotaeseuslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

• Escreva um comentário e deixe uma blogueira muito feliz!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul editado por Anderson Vidal