18 de jun de 2013

Anjo Mecânico - Cassandra Clare

Editora: Galera Record
Páginas: 392
Resenhado por: Victor Lopes


Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo.





É mais do que óbvio que Cassandra Clare é uma autora de sucesso. Os Instrumentos Mortais estão sempre entre os livros mais vendidos e já ganhou uma adaptação com estreia programada para este ano! A fama fica mais do que comprovada em Anjo Mecânico, primeiro livro da série As Peças Infernais.

A história agora se passa em Londres onde Will, Tessa e Jem se veem envolvidos em uma trama que mistura não só o mundo das sombras e o dos humanos, como também um grande mistério relacionado a autômatos, robôs que foram criados com um propósito e por alguém que todos desconhecem.

Para mim, um dos grandes méritos da autora é que ela cria um enorme quebra cabeça e vai montando aos poucos, com as peças se encaixando de uma maneira fácil de compreender, mas que não é nem um pouco esperado. Neste livro Cassandra Clare consegue melhorar ainda mais este seu talento, o que faz com que cada capítulo seja de extrema importância, ainda que em detalhes quase imperceptíveis.

A história se desenvolve rapidamente, com curvas dramáticas espetaculares e cenas que te deixam de cabelo em pé, com perguntas e respostas, porém muito mais perguntas do que respostas. Um ponto muito positivo é que como a mitologia do mundo onde a história se passa já foi bem explicada em outra série, não se perde tempo com longas explicações sobre o que os personagens são e o que eles fazem, dando ainda mais velocidade ao enredo.

Algo que talvez não seja tão bom está relacionado com os personagens. Suas personalidades e alguns trejeitos me lembram muito os já conhecidos personagens de Instrumentos Mortais. O que me pergunto é se isso foi um problema da Cassandra, que não conseguiu criar personagens completos e pegou as características de outros, ou se foi uma grande sacada dela, afinal estes personagens de As Peças Infernais são os antepassados dos de Instrumentos Mortais, ou seja, suas personalidades seriam parecidas porque são parentes.

Dúvidas à parte, esse é mais um dos livros de Cassandra Clare e do mundo das Sombras que te leva por uma aventura inigualável, cativante e, muitas vezes, assustadora. Se você gosta dos outros livros da autora, leia este também, se não gosta, tente ler de novo e gostar, quem sabe sua opinião não muda?


"O rosto de Gabriel se tornou sombrio.
- Existe alguma coisa que não seja piada para você?
- Não consigo lembrar de nada.
- Sabe – disse Gabriel –, houve um tempo em que pensei que pudéssemos ser amigos, Will.
- Houve um tempo em que achei que eu fosse um furão – disse Will –, mas acabou se provando ser o efeito do ópio. Sabia que tinha esse efeito? Porque eu não."
Pág. 224

3 comentários:

  1. Quero quanto ler esses livros da Cassandra *-* Todos falam bem dela e o conto que eu li da Cassandra no livro Zumbis vs Unicórnios é ótimo! Preciso de dinheiro! hahah

    ResponderExcluir
  2. Sempre quis ler um livro da Cassandra, mais ainda não li =/. Sou louca para ler esse livro, ótima resenha.
    http://faahsantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Como primeiro de uma série da Cassandra, prefiro Anjo Mecânico a Cidade dos Ossos, a escrita dela evoluiu muito, e é bem isso que você falou, os detalhes importantes estão por toda parte, nas coisas mais imperceptíveis.
    Adorei a resenha.
    Beijos,

    Gustavo Valim
    http://jantandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

• Escreva um comentário e deixe uma blogueira muito feliz!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul editado por Anderson Vidal