6 de mar de 2014

O amor mora ao lado - Debbie Macomber

Editora: Novo Conceito
Páginas: 160
Resenhado por: Ana Paula da Cruz

Lacey Lancaster sempre quis ser esposa e mãe. No entanto, depois de um divórcio bastante doloroso, ela decide que é hora de dar um tempo em seus sonhos e seguir sozinha mesmo. Mas não tão sozinha: sua gatinha abissínia, Cléo, torna-se sua companhia de todas as horas. Até é uma vida boa — um pouco aguada, é verdade — a de Lacey. A não ser por seu escandaloso vizinho, Jack Walker. Quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão, pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes. Mas acontece que a primeira impressão nem sempre é a que fica...



Estava precisando dar um tempo na leitura de “O Retrato de Dorian Gray” e pensei, despretensiosamente, em ler um pouco de “O Amor mora ao Lado” antes de dormir... Pronto, o livro estava lido em questão de uma hora, sem mentira.

A trama transcorre em torno da vida de Lacey e Jack, vizinhos do mesmo andar do prédio, que veem suas vidas entrelaçadas após um pequeno descuido de Lacey. Uma porta aberta e, pronto, sua gata Claire estava “grávida” de Cão, o gato vira-lata de Jack. E, a partir desse momento, tudo muda... tanto na vida dos humanos quanto dos gatos.

Lacey sofreu um trauma há pouco mais de um ano e, ao longo da narrativa, vamos descobrindo quão machucada ela está devido a esta traição de seu ex-marido. Por este motivo está dando um tempo em relacionamentos amorosos e com foco em outras coisas, como seu trabalho e em se reerguer na nova cidade. Quando Jack começa a investir em visitas para “ver como está sendo a gestação de Claire”, a última coisa que Lacey quer é se envolver com um tipo tão charmoso e querido quanto ele.

E o Jack, ah... Eu fiquei encantada pelo Jack. Legítimo príncipe encantado. Lindo, fofo, paciente e extremamente solícito. Além de persistente, parece que Jack não tem o hábito de desistir tão facilmente assim de suas investidas. O que torna o enredo muito engraçado, utilizando-se das desculpas que ambos vão dando para se tornarem mais próximos.

Nesta história, por serem poucas páginas, acontece tudo muito ligeiro e nada é muito aprofundado... e isso, ao meu ver, ao invés de atrapalhar, colaborou para que eu me envolvesse ainda mais na leitura, pois a cada página algo acontecia. Tudo meio superficial, no bom sentido, claro, mas sempre tinha uma briguinha a mais, uma saída, um encontro para discutir os gastos com a gestação e etc...

Um romance sutil, doce e muito delicioso de ser lido, para se perder durante algumas horinhas. Digno de virar filminho de sessão da tarde (isso é para soar como um elogio, hein!). Amei.

Quem diria que aquele gato sem-vergonha seria responsável por fazer com que vocês dois se aproximassem? Pág. 77

Um comentário:

  1. AAAH! Esse livro parece ser lindo, sua resenha me deixou mais ansiosa por ele ainda, em breve lerei e conhecerei a Debbie que até agora não conheço ooo/

    ResponderExcluir

• Escreva um comentário e deixe uma blogueira muito feliz!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul editado por Anderson Vidal